• 05 Abr 2022
  • Antonio

AMPE tem noite de festa de seus 181 anos celebrando a volta do evento presencial


Na noite da última segunda feira a AMPE comemorou seus 181 aos com a 39ª edição da Medalha Maciel Monteiro e a 14ª edição do Prêmio Diva Montenegro. Dr. Bento Bezerra falou sobre o início dos eventos presenciais como uma superação, justo na celebração do aniversário da AMPE, e os ganhadores que são sócios jubilados da associação. Ainda seu discurso saudou os estudantes que são pilares da associação e os convidou para fazer parte dela.

Também ressaltou as reformas no prédio, de documentos, e chamou a atenção para o descaso do poder público com a Academia Pernambucana de Medicina. Mostrou lutas atuais como o parque da Tamarineira que impactará no funcionamento do Ulysses Pernambucano.

Dr. Antônio Peregrino foi o escolhido para conduzir a cerimônia em homenagem aos agraciados como orador oficial da noite. Transcorreu pela história de Maciel Monteiro, fundador da Associação, e sobre a vida médica, social, cultural e política intensa dele.

Aos homenageados discorreu sobre momentos que só as pessoas mais próximas conhecem de suas trajetórias, agora de conhecimento geral.

Dra. Aspásia Pires, ginecologista e obstetra, com 57 anos de medicina dedicada, sendo ela uma das 12 mulheres da turma com homens em sua maioria, enfrentaria outros desafios também fora do curso, como atleta nadadora pelo Sport Clube do Recife.

Iniciou sua vida profissional em uma Maternidade de Vitória de Santo Antão, foi fundadora da Cooperativa de Médicos Ginecologistas e Obstetras de Pernambuco (COPEGO), presidente da Federação das Cooperativas de Especialidades Médicas de Pernambuco (FECEM). Também foi admitida no IAPAS (Instituto de Administração Financeira da Previdência Social), posteriormente incorporado ao INAMPS (Instituto Nacional de Assistência Médica da Previdência Social), e trabalhou em dois hospitais do Recife sendo o Barão de Lucena onde também atuou como preceptora.

Em seu discurso de agradecimento falou de seus familiares e do respeito aos pacientes, como sua base profissional.

O Dr. Boris Berenstein, radiologista, teve um início de carreira desafiador em uma família de imigrantes sobreviventes do holocausto. Comerciante, mas sonhador, teve o apoio da família para os estudos na medicina, ainda que os problemas o levassem para outro rumo. Graduado em 1973, inicialmente se identificava com a pediatria, e logo depois, através de referências, a radiologia entrou na sua vida profissional definitivamente após um estágio na área. Em 1988 fundou o grupo Boris Berenstein, uma das referências no Estado.

Ele também foi presidente da Sociedade de Radiologia de Pernambuco, que teve como sua primeira sede a antiga Sociedade de Medicina de Pernambuco, atual Associação Médica de Pernambuco – AMPE. Hoje também é sócio fundador da "Escola F - Educação para Famílias Empresárias", que capacita famílias empresárias.

Ao longo do discurso agradeceu o suporte que a AMPE teve em sua trajetória acadêmica e profissional. Citou a mãe como a base para a realização de seu sonho de ser médico. Também falou sobre os a batalha dos médicos de todo o Brasil que lutaram contra o covid 19. Ainda agradeceu à sua esposa por ser uma das grandes responsáveis pelo sucesso, e às cidades do Recife e Olinda pelo acolhimento aos seus pais.

Dra. Sirleide de Oliveria Costa Lira, dermatologista, integrante da diretoria da AMPE desde 1999, e responsável por cerimoniais como presidente da Comissão Sociocultural. Antes da vida médica foi pedagoga formada no Colégio Presbiteriano Agnes Erskine. Ainda como professora, foi diretora de colégio público estadual. Entrou para o curso de letras na UFPE, mas não se identificou. Também tentou até o quarto período odontologia, e então em definitivo entrou para a medicina no ano de 1978.

Foi médica perita e chefe da Junta Médica Oficial do Estado de Pernambuco, é membro oficial do Núcleo de Cooperativismo Médico do Conselho Federal de Medicina (CFM), e uma das fundadoras da Cooperativa de Médicos de Especialidades Clínicas de Pernambuco – Coopeclin, e coordenadora das comissões de ética médica dos hospitais de Pernambuco, e é membro do Conselho Fiscal do Sindicato dos Médicos de Pernambuco e Membro da Comissão Estadual de Honorários Médicos – CEHM.

Seus agradecimentos direcionados primeiramente aos representantes das entidades médicas presentes, os quais sempre prestigiam a associação, aos parente, filhos e também os falecido marido que na época foi seu maior apoiador para enfrentar o desafio da formação médica. Ao final, agradeceu a toda a equipe de cerimonial, finalizando com a gratidão aos mestres que moldaram sua forma de fazer medicina.

Na segunda parte da cerimônia, o Prêmio Diva Montenegro em sua 14ª edição, premiando os melhores trabalhos científicos aos qual se destina como finalidade. O mesmo é um incentivo para que eles continuem estimulados a desbravar novos horizontes na medicina. O agraciados desta edição foram: André Inocêncio Novaes Lima Filho(FCM/UPE); Geneci Lucas Lucena Lopes(UFPE); Gustavo Fonseca de Albuquerque Souza(UNICAP); Manoel Pereira Guimarães(UNIVASF); Maria Eduarda Araripe Costa(FPS-IMIP); Oscar José da Conceição Filho(UFPE).

Ao final houve a apresentação cultural dos múscios Rcine e ravel Cerqueira.